Entenda o poder do marketing de influência

Sabemos que tornar sua empresa cada vez mais relevante e conectada, dialogando em sintonia com os consumidores, nem sempre é tarefa simples. Ainda que a tecnologia, os dados e a criatividade possam ajudar a influenciar pessoas, é preciso ir além! Afinal, o público está em busca de marcas coerentes com seus valores e objetivos.

Transformar os consumidores em multiplicadores do conteúdo ou, até mesmo, “defensores” da reputação, dos serviços e dos produtos das marcas é algo bastante desafiador. Existem cada vez mais canais de comunicação, todas as pessoas são geradoras de conteúdo e as notícias atravessam o mundo em segundos. Nesse contexto do “tudo junto e misturado”, temos ainda o fenômeno das fake news e o movimento de manipulação de dados.

As mídias sociais

As mídias sociais, por exemplo, oferecem inúmeras vantagens para as organizações se conectarem com um universo gigantesco de pessoas. Por ser um ambiente mais democrático, os usuários atuam em rede com mais facilidade e compartilham conteúdo com conhecidos e desconhecidos, teoricamente, protegidos pela dinâmica do mundo digital. Por isso se sentem mais seguros para sustentar ideais e objetivos. Por outro lado, esse também é um ambiente propício para a criação de exércitos de detratores. Nas redes, as pessoas ditam comportamentos, apontam seus níveis de tolerância e se sentem muito confortáveis em promover verdadeiros “linchamentos virtuais”.

Marketing de influência

Foi nesse cenário que o marketing de influência digital nasceu e cresceu! Os consumidores esperam narrativas genuínas e ações concretas por parte das empresas. Além disso, seguem as recomendações, os gostos e os hábitos dos influenciadores digitais. Quando um deles endossa um tema, abraça uma campanha ou uma causa, um laço real acontece. As pessoas logo se identificam. Não querem mais o inalcançável ou o falso: querem a vida real e, se possível, transformadora!

No Brasil, existem vários tipos de rankings de influenciadores digitais. Alguns avaliam a relevância, outros medem o número de seguidores ou selecionam os influenciadores que mais são percebidos como “autoridades” em determinados assuntos pelos usuários do universo digital.

Como escolher um influenciador e adotar a estratégia de  marketing de influência?

Para começar, a recomendação é seguir as premissas básicas:

  • Faça uma análise de quais são os influenciadores que têm aderência ao posicionamento de uma marca, serviços ou produtos.
  • Entenda qual é o objetivo da campanha para escolher o papel do influenciador no projeto.
  • Analise a taxa de engajamento, a qualidade do conteúdo e, principalmente, a postura e posicionamento do influenciador em relação a temas sensíveis, como diversidade e inclusão, sustentabilidade, política etc. A sociedade cobra posicionamento das marcas ou dos patrocinadores quando se envolvem com influenciadores cancelados por atos ou conteúdos não aprovados por seus seguidores.
  • Capriche no briefing e deixe o criador de conteúdo livre para criar!
  • Por fim, oficialize o que foi acordado. Deixe tudo muito claro. Regras e políticas foram feitas para ser adotadas.

Então, quer conversar mais sobre isso? Está justamente na fase de planejamento da sua campanha? Fale com a gente!

Matérias Recentes